terça-feira, 23 de dezembro de 2014

POLÍCIA MILITAR DA PARAÍBA PRENDE ACUSADO DE HOMICÍDIO NO RIO GRANDE DO NORTE COM AJUDA DO WHATS APP

23/12/2014

A Polícia Militar da Paraíba prendeu, na madrugada desta terça-feira (23), na cidade de Pombal, no Sertão paraibano, o empresário norteriograndense Paulo Diógenes de Vasconcelos, de 35 anos. Ele é suspeito de matar com um tiro na cabeça a ex-esposa, Fernanda Irassoara Borges de Araújo, de 27 anos, na noite dessa segunda-feira (22), na cidade de Currais Novos, região do Seridó do Rio Grande do Norte. 

Segundo informações do comandante do 14º Batalhão da Polícia Militar da Paraíba, major Rômulo Araújo, após o crime os policiais do Rio Grande do Norte ‘postaram’ as informações em um grupo de whatsapp (aplicativo de mensagens instantâneas) que reúne policiais militares dos dois estados, dizendo que o suspeito estaria escondido em um motel do município de Pombal. “As informações davam conta de que ele estava armado, passaram a placa do veículo do suspeito e através desses dados conseguimos localizá-lo e prendê-lo com uma arma”, contou o major. 

A arma apreendida com o acusado é um revólver calibre 38, que estava com três munições intactas e uma deflagrada (disparada), possivelmente a utilizada para tirar a vida da vítima. O acusado foi apresentado na Delegacia da Polícia Civil, em Pombal-PB, e em seguida levado para o Estado do Rio Grande do Norte.

O crime - De acordo com as informações da Polícia Militar do Rio Grande do Norte, por volta das 22h o suspeito chegou chamando a ex-esposa, de quem estava separado há seis meses, na casa dela, no bairro JK. Quando a vítima passou do portão, ele atirou na cabeça dela, conforme testemunhas relataram aos policias no local do crime. Fernanda Irassoara deixa dois filhos, sendo um menino de 5 anos e uma menina de 3.

Assecom PB

0 comentários:

Postar um comentário

IV – “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

VI - é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias;

VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

IX – é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”;

 
CARCARÁ PARELHAS | by TNB ©2010