quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Major costa desabafa: se existem culpados pela violencia em Caicó são as instituições públicas

Major Costa desabafa: “Se existem culpados pela violência em Caicó são as instituições públicas”

Se para o comandante do 6º Batalhão da Polícia Militar, Major Walmary Costa a situação da violência em Caicó é calamitosa e preocupante, imagine o que pensa a população, que vem a cada dia se tornando refém da situação em que se encontra a maior cidade da região do Seridó. Em entrevista ao Panorama 95 (Rural FM de Caicó) na manhã desta segunda-feira (08), Major Costa deixou bem claro que o crescimento dos índices de violência tem preocupado o comando do 6º BPM, mas fez questão de dizer que todos os esforços vem sendo feito para que a segurança da população seja garantida.

Esse ano já tivemos duas operações grandes em conjunto com o Ministério Público, e estamos intensificando o policiamento, embora não tenha conseguido debelar a onda de criminalidade, mas temos que continuar trabalhando, na tentativa de evitar que esses crimes venham a acontecer”, explicou. Costa disse que a maior dificuldade para o trabalho da Polícia Militar continua sendo a falta de informação por parte da sociedade. “As pessoas se negam, até por medo de serem vitimas depois, mas a população precisa ajudar dando informações a polícia, principalmente a Civil que é a responsável pelas investigações”.

Para Major Costa, a grande maioria dos crimes praticados na cidade, principalmente os homicídios está relacionada ao consumo e venda de drogas. “As pessoas por muitas vezes compram drogas, não tem o dinheiro para efetuar o pagamento, ficam devendo e normalmente pagam com a vida, mas também podem ter uma relação com o espaço delimitado pelos traficantes”.
Foto: Sidney Silva

0 comentários:

Postar um comentário

IV – “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

VI - é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias;

VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

IX – é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”;

 
CARCARÁ PARELHAS | by TNB ©2010