sexta-feira, 14 de novembro de 2014

RN CONVOCA 824 SUPLENTES DO CONCURSO DE 2006



Faltando quatro dias para completar nove anos da publicação do edital do Concurso Público para provimento de vagas no cargo de Soldado do Quadro de Praças Combatentes da PMRN, o Estado do Rio Grande do Norte convocou os últimos 800 candidatos aprovados no referido concurso.

Chamados por muito tempo pelo nome de "824", os candidatos conquistaram o que há anos esperavam após inúmeras batalhas judiciais. Nesse longo caminho os "824" passaram por momentos de esperanças renovadas e outros de esperança esvaida, mas finalmente o sonho de ingressar na Polícia Militar do RN se tornou possível após recente decisão judicial e começa a se concretizar no final deste ano de 2014.

O Diário Oficial do Estado trouxe publicado a relação de 800 candidatos aprovados no exame de aptidão física e que foram convocados a seguirem no certame com a realização dos exames de saúde. No entanto, como toda batalha merecida parece ser sofrida, o referido exame de saúde só irá se concretizar finalmente após março de 2015. Isso por que a Polícia Militar não dispõe mais de atendimento psiquiátrico para avaliar umas das condições incapacitantes para o cargo previstas no edital, qual seja o exame neuropsiquiátrico.

Mas em nada irá tirar-lhes a alegria de finalmente ver a guerra terminar, uma guerra que durou quase nove anos e que traz como vencedores não apenas os chamados "824", mas toda a sociedade potiguar que vem sofrendo com falta de segurança em todo o Estado, tendo uma das causas a falta de efetivo na polícia ostensiva.

O número de integrantes da Corporação ainda continuará inexpressivo devido a anos de descaso por parte do Estado com a segurança pública, mas o passo foi dado para o aumento do efetivo, mesmo que por força judicial.via sertaonamidia.com.br
Curta nossa página no Facebook e fique atualizado em tempo real. https://www.facebook.com/sertaonamidia

0 comentários:

Postar um comentário

IV – “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

VI - é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias;

VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

IX – é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”;

 
CARCARÁ PARELHAS | by TNB ©2010