sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Polícia anuncia prisão de acusados da morte de comerciante no Centro de Patos







A Polícia Civil conseguiu prender dois homens suspeitos. De acordo com o agente da delegacia de homicídios da Polícia Civil de Patos, Carlos Araújo, a prisão aconteceu nas primeiras horas da tarde e os dois homens que foram presos ainda não tiveram as identidades confirmadas. Os nomes dos acusados foram informados pela própria vítima, antes de morrer.
“Logo que o crime aconteceu, policiais questionaram a vítima o que tinha acontecido e ele indicou os nomes dos acusados.Desde a manhã a polícia estava atrás dos acusados e conseguimos encontrá-los. Um deles nega a autoria, mas o outro confirma a participação dos dois”, disse agente.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, os motivos do crime ainda não foram esclarecidos, mas os dois acusados deverão ser ouvidos.


O crime

Na manhã desta quinta-feira (5), dois homens armados, em uma moto pararam o trânsito da rua do Prado, em Patos e atiraram no comerciante, no meio da rua. Mesmo baleado, José Arimateia ainda acelerou o carro e derrubou os acusados da moto, que fugiram correndo. A ocorrência se deu por volta das 10h, na rua Do Prado, e provocou correria entre a população.

O comerciante estava dirigindo um veículo Saveiro, de cor prata e placas KLV-4775. A moto dos acusados, uma fan de cor preta ficou abandonada no local e foi apreendida. A Polícia Militar ainda não sabe ao certo se a intenção da dupla era executar a vítima, ou se foi uma tentativa de assalto, tendo em vista que o comerciante costumava trafegar com grandes quantias em dinheiro.



Fonte - Jornal da Paraíba

Foto - Marcos Eugênio - Garimpandopalavras via sertaonamidia.com.br
Curta nossa página no Facebook e fique atualizado em tempo real. https://www.facebook.com/sertaonamidia

0 comentários:

Postar um comentário

IV – “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

VI - é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias;

VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

IX – é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”;

 
CARCARÁ PARELHAS | by TNB ©2010