segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Prefeito é preso após invadir sede da Polícia Militar e agredir policiais na Paraíba, diz delegado



Policiais que registraram a ocorrência


O prefeito da cidade sertaneja de Lastro, Emmanuel Mendes Sarmento (PMDB), foi preso na noite desse domingo (5), depois de invadir o Destacamento da Polícia Militar e ameaçar policiais de morte. De acordo com o delegado Seccional de Sousa, Sylvio Rabello, o gestor vai responder pelos crimes difamação, invasão, ameaça, desobediência e desacato.

O delegado explicou que o prefeito participava de um evento político na cidade quando começou uma briga por divergências partidárias. O prefeito teria se deslocado até a sede da PM para denunciar o caso, quando o gestor iniciou uma discussão.

“Sem motivo aparente, ele invadiu o destacamento da PM, onde também funciona a delegacia. O prefeito que estava totalmente embriagado agrediu os policiais, ameaçou o pessoal que estava no destacamento, chutou os móveis e ainda ameaçou um dos PM de morte”, disse o delegado.

Os policiais comunicaram a ocorrência ao delegado, que deu voz de prisão em flagrante. “De imediato eu fui comunicado. Ordenei que os policiais prendessem o prefeito e o encaminhassem para a delegacia de Sousa, onde eu dei voz de prisão a ele. É inaceitável um prefeito ter um comportamento reprovável desse. Ele vai responder criminalmente pelos crimes. Vou notificar a Justiça, o Ministério Público e a Câmara Municipal da cidade”, adiantou Sylvio Rabelo.

O prefeito assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e foi liberado. “Como os crimes não cabem pena de reclusão, ele assinou o termo e foi posto em liberdade”, comentou o delegado.

A assessoria jurídica do prefeito negou que ele tenha invadiu o destacamento policial e afirmou que o gestor garantiu que não agrediu aos policiais.

Matéria: Portal Correio - Foto: Diário do Sertãovia sertaonamidia.com.br
Curta nossa página no Facebook e fique atualizado em tempo real. https://www.facebook.com/sertaonamidia

0 comentários:

Postar um comentário

IV – “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

VI - é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias;

VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

IX – é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”;

 
CARCARÁ PARELHAS | by TNB ©2010