quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Motoristas de ônibus fazem paralisação em protesto contra insegurança

Os motoristas de Natal iniciaram uma paralisação na manhã desta quarta-feira (8), em Natal. Os rodoviários protestam, mais uma vez, contra a insegurança nos transportes públicos da cidade. A avenida Bernardo Vieira e a rua Rua Fonseca e Silva, próximo à Praça Tamandaré, estão parcialmente bloqueadas.

Magnus NascimentoMotoristas fazem paralisação em dois pontos de Natal
Na noite de ontem (7), um ônibus da linha 38 foi assaltado e o cobrador Carlos Alberto da Silva foi ferido a bala pelo criminoso quando reagiu à ação. Passageiros conseguiram render e espancar o adolescente de 14 anos que cometeu o crime. Ele foi atendido e segue hospitalizado no Walfredo Gurgel.



saiba mais
Durante mais um assalto a ônibus adolescente atira em cobradorDe acordo com o presidente do Sintro, Nastagnan Batista, a paralisação deve durar, no máximo, duas horas. "A nossa ideia é mobilizar a sociedade, não só os rodoviários, mas toda a sociedade contra essa violência que atinge a cidade. A situação da segurança não pode ficar do jeito que está", disse Nastagnam Batista.

Yuno SilvaNa avenida Bernardo Vieira, na lateral do Midway Mall, motoristas bloquearam uma faixa durante manifestação
Com a paralisação, os passageiros que seguiam nos transportes públicos tiveram que descer dos ônibus e seguir o caminho a pé. Além disso, o trânsito ficou bloqueado nas proximidades do Sintro, na rua Fonseca e Silva, e entre a rua dos Tororós e Rui Barbosa, na Bernardo Vieira. Os ônibus ocupam a faixa esquerda da via. Não há, no entanto, relato sobre tumulto nas localidades.

Com paralisação, passageiros desceram dos veículos e carros disputaram faixas desbloqueadas - Foto:Yuno Silva
tribuna do norte
via sertaonamidia.com.br
Curta nossa página no Facebook e fique atualizado em tempo real. https://www.facebook.com/sertaonamidia

0 comentários:

Postar um comentário

IV – “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

VI - é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias;

VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

IX – é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”;

 
CARCARÁ PARELHAS | by TNB ©2010