terça-feira, 21 de outubro de 2014

Ações de repressão qualificada apreendem mais de 9,8 mil armas de fogo e 7 toneladas de drogas na Paraíba







As Polícias Civil e Militar da Paraíba, por meio de repressão qualificada aos crimes contra a vida, patrimônio e ao tráfico de entorpecentes, conseguiram apreender 9.889 armas de fogo e 7.044 quilos de drogas na Paraíba desde 2011. O dado é do Núcleo de Análise Criminal e Estatística (Nace) da Secretaria da Segurança e da Defesa Social (Seds), segundo o qual a média de revólveres, pistola e armas de grosso calibre retirados de circulação no Estado é de 7,2 por dia. Ao mesmo tempo, 5,15 quilos de maconha, crack e cocaína deixaram de ser comercializados por dia nas cidades paraibanas.


De janeiro a setembro de 2014, foram apreendidas 2.200 armas, 12,6% a mais do que no ano passado, em igual período (1.953). Em 2012, as polícias retiraram das ruas 2.117 unidades de armamento e em 2011 o número chegou a 1.613.


Nesses meses também foram apreendidas 2 toneladas e 521 quilos de drogas, o que representa um aumento de 398% em relação ao ano anterior. O destaque dessa apreensão foi a maconha, que totalizou 2.404 quilos que deixaram de ser comercializados de janeiro a setembro, com aumento de 491% na quantidade apreendida em comparação ao mesmo período do ano passado. Também foram retirados de circulação mais crack e cocaína: 95,7 quilos contra 79,2 quilos e 21,6 quilos contra 20,5, na comparação entre os dois períodos, com aumentos de 21% e 5%, respectivamente.


Para o secretário da Segurança e Defesa Social, Cláudio Lima, o resultado se deve à gestão focada em resultados, colocada em prática com o Programa Paraíba Unida pela Paz. “A repressão qualificada e a Inteligência Policial fizeram diferença. No tocante às drogas, destaca-se a ação histórica de mais de 1,5 tonelada de maconha apreendida pela Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) da Capital no mês de setembro”, lembrou.


Secomvia sertaonamidia.com.br
Curta nossa página no Facebook e fique atualizado em tempo real. https://www.facebook.com/sertaonamidia

0 comentários:

Postar um comentário

IV – “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

VI - é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias;

VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

IX – é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”;

 
CARCARÁ PARELHAS | by TNB ©2010