quinta-feira, 11 de setembro de 2014

SESED/RN reúne órgãos de segurança pública para discutir fim dos bloqueios do MST‏


A Secretaria Estadual de Segurança Pública e da Defesa Social (SESED) e a Polícia Rodoviária Federal estão reunidas, desde o inicio da manhã desta quarta-feira (10), com os órgãos de segurança do RN para debater medidas para por fim aos bloqueios de integrantes do Movimento dos Sem Terra (MST), espalhados em sete pontos de rodovias federais pelo Estado.

Os locais de bloqueio são em Mossoró, João Câmara, Ceará-Mirim, Maxaranguape, Macaíba, Canguaretama e na chamada “Reta Tabajara”.

Os manifestantes reivindicam a substituição do Superintendente Regional do Incra/RN, Vinicius Ferreira, reunião com algum representante do Incra de Brasília, além de audiências com a Governadora Rosalba Ciarlini, e os prefeitos de Mossoró e Canguaretama.

Estão reunidos no Gabinete da Secretaria Estadual da Segurança Pública representantes da Polícia Civil, Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal, do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), setores de Inteligência e Conselho de Defesa dos Direitos Humanos.

AUDIÊNCIAS CONFIRMADAS


Foram agendadas as seguintes audiências: com a Governadora Rosalba Ciarlini, na próxima segunda-feira, 15, às 14h; com o prefeito de Mossoró, Francisco José Júnior, amanhã (11), às 09h, na sede da prefeitura do município. Já a prefeita de Canguaretama, Fátima Marinho, informou que estava se dirigindo ainda nesta manhã ao bloqueio no município para ouvir os manifestantes.

Com esta reunião e a articulação das medidas, o titular da SESED está buscando todas as alternativas possíveis e juridicamente viáveis para término dos bloqueios, a fim de evitar, a todo custo, o confronto dos manifestantes com forças policiais.via sertaonamidia.com.br
Curta nossa página no Facebook e fique atualizado em tempo real. https://www.facebook.com/sertaonamidia

0 comentários:

Postar um comentário

IV – “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

VI - é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias;

VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

IX – é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”;

 
CARCARÁ PARELHAS | by TNB ©2010