segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Presos mais 4 suspeitos de explosão a caixas de banco em usina no RN


Terminais foram detonados dentro de uma usina em Baía Formosa.
Após a explosão, dois já haviam sido presos e R$ 143 mil recuperados.

Do G1 RN

Segundo a PM, dinheiro dos caixas foi recuperado; explosão destruiu terminais do Bradesco dentro da usina Baía Formosa, de cana-de-açúcar (Foto: Divulgação/Polícia Militar do RN)

A Polícia Militar prendeu mais quatro suspeitos da participação na explosão de caixas eletrônicos em uma usina de cana-de-açúcar no município de Baía Formosa, no litoral Sul doRio Grande do Norte. De acordo com a PM, os suspeitos tentavam pegar um táxi nas proximidades do local de onde fugiram da polícia no município de Canguaretama, na região Leste do estado. Dois homens já haviam sido presos durante a madrugada em uma van com o dinheiro levado dos terminais.
saiba mais
Quadrilha explode caixas de banco dentro de usina no RN; 2 são presos

De acordo com o capitão Cláudio Henrique Rodrigues, comandante da PM na região, com os quatro suspeitos detidos foram encontradas duas pistolas calibre 380, uma pistola ponto 40 roubada de um policial militar e um revólver calibre 38 que havia sido roubado de um policial civil.

O quarteto ainda de acordo com o oficial, estava com outros quatro homens que conseguiram fugir para um matagal e um trecho da BR-101 que passa pelo município de Canguaretama. Na madrugada, dois suspeitos foram detidos em uma van, onde foi encontrada uma mala com cerca de R$ 143 mil. Eles alegaram que estavam transportando um grupo para um comício em Natal.

A polícia está em diligências na região em busca dos outros suspeitos.

O crime
De acordo com o capitão Cláudio Henrique Rodrigues, comandante da PM da região, foram recuperados R$ cerca de 143 mil. A prisão da dupla aconteceu após a polícia receber a informação sobre a explosão dos caixas do Bradesco dentro da usina Baía Formosa, em Baía Formosa. "Os policiais disseram que o grupo fugiu da usina em uma van e nos passou as características do veículo. Uma equipe do GTO (Grupo Tático Operacional) de Canguaretama fez a abordagem na BR-101 e quando o veículo parou, oito suspeitos correram para dentro do matagal. Dois que ficaram no veículo foram presos", explicou.

Ainda segundo o comandante, além do dinheiro, com a dupla foram encontrados um revólver com munições, um 'chupacabras' - material usado para a clonagem de cartões de crédito - e ferramentas utilizadas para arrombamentos de terminais eletrônicos.

O grupo foi encaminhado para a Delegacia de Canguaretama, na região Leste. Durante o depoimento, os criminosos disseram que estavam levando um grupo para um comício em Natal. "Eles não souberam explicar de onde era o dinheiro que estava na mala", falou o comandante.

Terceiro caso em menos de um mês
Este foi o terceiro caso de explosão de caixas eletrônicos dentro de fábricas no Rio Grande do Norte em menos de um mês, segundo informou a Polícia Militar. No dia 21 de agosto, uma ação semelhante aconteceu dentro da fábrica Vicunha, indústria têxtil que fica no município de Extremoz, também na Grande Natal. Segundo a PM, na ocasião cinco homens armados renderam o vigilante do local e usando dinamite detonaram o terminal. A quantia levada não foi informada.

O outro caso registrado aconteceu na madrugada do dia 1º de setembro dentro da fábrica da Coteminas, indústria têxtil que fica no município de Macaíba, na Grande Natal. Segundo a Polícia Militar, dois caixas eletrônicos do banco Bradesco foram explodidos após os criminosos renderam dois vigilantes que trabalhavam no local.via sertaonamidia.com.br
Curta nossa página no Facebook e fique atualizado em tempo real. https://www.facebook.com/sertaonamidia

0 comentários:

Postar um comentário

IV – “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

VI - é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias;

VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

IX – é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”;

 
CARCARÁ PARELHAS | by TNB ©2010